10.26.2007

HEROINA

26/10/2007


26 de outubro de 1945, Oeiras – Piauí, D. Angela deu a luz a uma menina, a batizou de Isabel. Nascia ali, o terceiro filho de uma geração de 7, naquela época, as mulheres eram verdadeiras parideiras, era um filho por ano.

Na roça com a enxada, ela ajudou a família até a morte do pai em 1965.


Com a morte de Seu João, os 7 filhos, Alice, Francisco, Isabel, Benedito, Antônio, Maria de Jesus e Amélia se separaram pelo Piauí e Maranhão.


Isabel casou-se aos 24 anos com um cachaceiro, pobre, preguiçoso e violento.

Com ele, teve três filhas: Rosa, Ana, João e Rosângela, joão morreu com 1 ano de vida.


Francisco, o filho do meio, foi trabalhar na rodovia Belém Brasília e chegou em Paraíso em 1973, chamou Isabel, Maria e Amélia pra vir também.


Isabel nunca estudou, trabalhou duro, passou fome, sofreu, apanhou, fugiu em um caminhão de abóbora, com suas 3 filhas pequenas no ano de 1974 para Paraíso, donde trabalhou lavando roupa no córrego e sustentou sua prole. Em Setembro de 1978 conheceu em uma seresta um cabeludo abandonado, chamado Antônio.


Em 20 de dezembro de 1978 foram morar juntos, Isabel ganhou um terreno da prefeitura e construiu uma casa de alvenaria, trouxe sua mãe para morar com ela, foi seguir o marido pelas rodas da vida, de roça em roça, de enxada em enxada, no sol, na dureza. Foi assim por longos anos, até 1991 quando foram morar na cidade.


  • E Isabel e Antônio moram juntos até hoje tiveram 2 filhas, Iara e Sandra.

  • Alice casou-se duas vezes e teve 9 filhos e é viúva e mora em Carolina-Ma.

  • Francisco se casou, mas teve caxumba e não gerou filhos e não sei onde mora.

  • Benedito teve dois matrimônios e teve 12 filhos, mora em Fortaleza dos nogueira no maranhão.

  • Antônio é casado há 25 anos e teve 6 filhos, moram juntos em Carolina-ma.

  • Maria de Jesus, é viúva e teve 5 filhos e moram em Paraíso.

  • Amélia é divorciada e teve 3 filhos que também residem em Paraíso.

E todos eles já moraram na casa de alvenaria de mamãe.

Essa é mamãe, forte, fiel, amável, resistente, mamãe não quebra, não dobra, porque ela é minha mãe e hoje está fazendo 62 anos de vida. É espelhada nela que acredito no ser humano, nas coisas simples como almoço de domingo, que acredito no príncipe encantado, na família, no sonho e em Deus.

Para hoje, Nossa senhora, minha mãe gosta muito dessa canção.


Beijos e um ótimo fim de semana a vocês.

0 Comentários:

Postar um comentário

- Regra geral: Bom senso.
- Siga-me no twitter: @iarana.