3.31.2009

Jamais abandonar algo pela metade

Tenacidade: Jamais abandonar algo pela metade e terminar o trabalho mesmo enfadonho de qualquer maneira. Qualidade ou defeito?

As vezes, a compulsão de terminar tudo o que começa , pode nos levar a executar uma tarefa completamente desnecessária.

O melhor ao meu ver, é saber quando parar com alguma coisa.

15 comentários:

  1. Nem me fale em compulção..

    ultimamento o chocolate tá me matando!!!

    =/

    ResponderExcluir
  2. Oi Iara...esse comentário acima foi eu quem escrevi..só estava logada na conta do blog da pesquisa..

    só vim avisar que fui eu, pra ti não ir lá agradecer e minha chefe me tirar o couro!!

    ;)

    ResponderExcluir
  3. Verdade flor , sempre brinco q devo ser argentina pq quando vejo q não adianta insistir , eu desisto.

    Sabe a hora de ficar quieto pode ser fundamental.
    Tem um meme pra vc lá no meu blog no post de ontem(30/04).
    Bjks.

    ResponderExcluir
  4. Eu sou um pouco compulsivo...
    Mas nunca paro, porque sou persistente!

    ResponderExcluir
  5. É bem diferente parar por que se quer parar, a parar por que não se quer continuar!

    Regra (quase) geral somos (quase) divididos em duas classes, os sonhadores (os que têm as ideias) e os fazedores (os que põem em pratica ideias dos sonhadores), apenas poucos de nos são sonhadores e fazedores (claro que não é só branco e preto, existem muitos tons de cinzento pelo meio.

    Todos nós conhecemos pessoas que falam que gostariam ou querem fazer isto ou aquilo e pouco ou nada fazem, outros, parecem que fazem tudo e tudo ao quase que fazem é medíocre, claro que aqui também aquilo dos cinzentos se aplica.

    Usualmente um sonhador só começa e acaba algo quando tem publico dedicado, como quadro que está para pendurar na sala a seis meses e que para a semana é que é, mas se a vizinha necessitar logo se terá a predisposição para fazer de imediato.

    Já o fazedor, faz tudo até ao fim mas com muito menos criatividade, faz por que enquanto faz está distraído e não pensa, pode ser visto como uma forma de abstracção ou meditação.

    Fica bem

    João Gonçalves

    ResponderExcluir
  6. Iara, eu quando estou fazendo alguma coisa que me enche o saco, ou se torna desnecessário, paro.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Faço o que me dê na telha, seja completo ou pela metade. Acredito que cada pessoa é senhor de si, e sabe muito bem o meu e o fel das escolhas que faz. Mudei de blog, deixei de escrever no Só Pensando e agora estou no Contestação. Bjus.

    http://contesta-acao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Hola, perdón si comento por acá, solo estoy pasando a saludar y también para invitarte a que pases y veas mi blog a ver si encuentras algo de tu agrado y si te gusta intercambiemos enlaces, una suerte de fucionar dendritas o algo asi diria yo,je.
    Saludos y hasta la proxima.

    ResponderExcluir
  9. Gostei!
    Talvez o final não seja exatamente como se pensou no início, mas concluir é coisa uma importante para se chegar a outras idéias.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  10. Saber a hora de parar e a hora de recomeçar mostra o quanto estamos aptos a decidir os nossos passos.
    Boa reflexão..
    ps: encontrei teu blog pq agora estou na confraria dos Loucos o blog "O Arroto". Bom Iara espero que curta o post que deixei por lá.
    um grande abraço

    ResponderExcluir
  11. Ei Iara,

    Tudo bem com você?
    Vim te ver. Quer dizer então que vai fazer somente os tutoriais fáceis hein! Hahaha...

    Acredito que quando estamos fazendo algo constatarmos que não será produtivo, não vejo porque não parar de fazer, largar para lá e esquecer.
    O que não dá é procrastinar com o que temos de fazer. E isso faço muito. Infelizmente.

    Bjks no seu coração,

    ResponderExcluir
  12. Não quero nem saber... abandono tudo que me for pesado e sem eficácia comprovada. Eu me pergunto:

    Para que, porque estou fazendo isto?

    A depender da resposta... tenha certeza... largo de lado!

    ResponderExcluir
  13. Hey PIN UP GIRL! :-D

    No meu caso, definitivamente considero como uma q-u-a-l-i-d-a-d-e pois sou exatamente o contrário disso.
    Queria não ser, e estou tentando melhorar, mas no geral, começo e não termino...infelizmente.
    :-(

    ResponderExcluir
  14. sei não eu deixo tudo pela metade , quase tudo, e acabo não sabendo onde eu parei, um equilibrio é o que todos nós buscamos
    e eu preciso atingir...

    ResponderExcluir

- Regra geral: Bom senso.
- Siga-me no twitter: @iarana.