8.13.2008

Panelinhas e a dificuldade de ser inserida num grupo

Ontem eu estava no blog do Ulisses o Toca Aquela,Como banalizar seu próprio blog facilmente, e comentei algo que me deu vontade de escrever o post sobre o assunto - legal de blogs é que às vezes um comentário faz a gente se inspirar - pois bem, me veio a mente como a internet tem panelinhas vocês já perceberam?

Blogs então!! às vezes entro em blogs por aí e vejo claramente que o autor é mais cordial com aqueles que ele conhece do que com os demais.
Sem falar nos projetos para blogs, de forma geram é sempre um mesmo grupo escolhido, novatos não entram, blogs isso e aquilo também não, algumas regras são inventadas para poder justificar o tamanho da panela que existe na internet.

Por mais que a internet seja um sinal da evolução da espécie, tem pessoas que não entende isso, andando pela internet eu vi o blog Ménage á Trois e li esse artigo também falando das panelinhas.

Se isso é chato voltemos a vida real, a vida onde trabalhamos, onde precisamos interagir, precisamos negociar, barganhar, a vida onde se existe conta para pagar e sonhos para realizar, onde nem tudo pode ser reescrito como num artigo de um blog, ok, veio pro mundo real?

- Ótimo, agora pense como é difícil a gente se inserir num grupo!!!
Você meu nobre leitor e amigo do Mais Atitudes, já contou as vezes que tentou entrar num grupo? já se perguntou porque humanos são tão complexos em suas redes de contatos e com sua escala de preferências?

Porque queremos ser o melhor da sala de aula? você está ali, lá no fundo e claro tem um grupo que só fazem trabalhos juntos, só saem juntos, vêem os mesmos programas, sabem tudo do mesmo conteúdo, você quer está ali, mas sabe que não vai conseguir assim tão fácil.

Eu por exemplo, na minha época de escola, queria jogar no time de voley, mas ninguém me queria no grupo, até que tive que aceitar a força que eu não era para estar ali, mesmo que eu me humilhasse para estar.
Mas porque? até hoje não tenho a resposta.

E o grupo do trabalho, do clube, da empresa?
O que sei é que fumantes, cervejeiros, safados de plantão, nerds, programadores e patricinhas são mais aptos a freqüentar o mesmo time de afinidades, normalmente se reconhece um nerd só em olhar para ele, os programadores e desenvolvedores pressentem o cheiro um do outro como cães policiais.
A minha teoria é que queremos ser o melhor e ter destaque (aposto que alguém vai falar que nada disso é importante e que consegue ser racional e ser "eu mesma") é elementar, mas isso é puro clichê, á gente gosta de reconhecimento, de ser bom em algo, de ser destacado, faz parte do ser vivo que está em nós, algumas mais que outros, porém, faz parte.
Voltamos a teoria, logo pra ser o melhor é preciso se dá bem dentro de uma escala de preferências, pessoas e coisas e isso requer um amplo arsenal de conveniências, convergências, afinidades, conversas e etc, então você, eu, nós, queremos entrar, fazer parte de algo, e aí vem a dor e a complicação, você descobre que não consegue ou ainda descobre que outros podem e estão afim de ir mais além do que você está disposto a ir.

Nunca escrevi uma coisa tão esquisita, tão sem noção, mas eu queria escrever isso, não sei porque, estou com as manias do Daniel rsrs.

Vejam as coisas que eu queria ter participado, mas não consegui, não sei o porquê de lembrar disso ainda.

-do time de voley da escola;
- do coral da 1ª comunhão;
- queria ser a porta-bandeira de um desfile de 7 de setembro;
- queria ter sido eleita a oradora da turma, de alguma turma que eu tenha estudado e me formado, mas sempre tinha uma melhor e mais popular que eu que conseguia e provavelmente há de ter.-;
- não fiz parte do grupo que participou de um congresso quando eu estudava faculdade, mesmo sendo eu a pessoa que fez o estudo e todo o artigo sobre a maldita da inflação.
- Eu queria ter ido pra turma dos mais avançados da minha época de primário, porém eu só ficava na turma dos menos "avançados".

No trabalho eu nem irei citar..foram tantos!
E vocês??
(quanto ao pé, eu nem notei mais, acho que sarou, porém não cabe na sandália ainda.)

14 comentários:

  1. Poisé, é difícil sentir que não se é o melhor naquilo que se faz. Mas as vezes deixamos nossos fracassos sublimarem nossas conquistas e acabamos nos vendo como um baita de um fracassado.

    A internet tá cheia de blogueiros vaidosos que não percebem que fora dos blogs não são as super personalidades que tentam aparentar nos textos que escrevem.

    Alias sou programador, desenvolvo softwares para automação comercial, mas estou resfriado hoje e por isso meu olfato está meio ruim, então se algum programador desconhecido passar por mim acho que não vou reconhecer.

    ResponderExcluir
  2. Iarinha,
    Já percebeu que a maioria das mulheres dessas panelinhas são todas bem resolvidas, com uma vida cheia de conquistas e foda-ses, que não se abatem nunca,e acham o resto das normais mulheres umas pobres-coitadas????

    As vezes me pergunto, com uma vida tão maravilhosa porque passam tanto tempo na internet???? quando elas vivem a grandiosidade de suas vidas??? o meu dia ainda tem 24 horas.

    Eu nunca gostei de panelinha, ja entrei em blogs que gosto de comentar e que quando vi que se formava uma panelinha nos comentarios nada escrevi, gosto de blogs em que todos são bem vindos, e o autor(a) é normal.

    Outro dia uma integrante de uma panelinha da epoca de escola me add no orkut tecendo elogios que me deixaram pasma...
    as cituações se invertem...
    Nada como um dia apos o outro com uma noite no meio.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Iara, pergunte para algum "blogstar", desses que sempre estão envolvidos em projetos que visam lucro, se alguma vez eles passaram por alguma "dificuldade" na vida. Raras exceções, mas quase todos estão atrás apenas de dinheiro e fama, e para conseguir isso, nada mais a fazer senão se juntar aos que buscam os mesmos objetivos.
    Panelas existem, sempre existiram, mas ninguém tem vergonha na cara para assumir que faz parte de uma.
    É sempre "pelo bem dos blogs e blogueiros"
    Abraço..
    Ulisses

    ResponderExcluir
  4. kkkk Tá sempre vão existir " panelinhas" mas chega a hora que vc amadurece o suficiente pra não se sentir sempre a vítima.

    Isso de ser vítima é um saco , enjoa ,cansa.
    Chega a hora que vc é vc e ponto , as reticências mostram suas possibilidades e vc se orgulha de que já é.

    Se não tá na hora de se reinveintar.

    ResponderExcluir
  5. Ola TEILOR, se fosse so os textos..eu ate entenderia, mas não gosto da forma como tratam blogueiros que atraves de uma busca pela internet por uma palavra-chave chegam ao blog e é visto como um qualquer.
    Falei sério ora...toma chazinho que resolve.

    .................

    SARA: Eu ja estou por desistir das pessoas, a primeira coisa que faço num blog logo que conheço o autor é tentar me interagir com os leitores.
    .................

    ULISSES: Blogstar foi boa...cuidado vão dizer que nós estamos falando assim porque não fazemos parte!!
    A minha tristeza é que quase todos os projetos para blogs ficam centralizados em uns 15 blogs/blogueiros.

    ResponderExcluir
  6. As "panelinhas" fazem perte da nossa vivência com os outros. A relação com o outro passa por uma complexa e íntima relações de afinidades. Quem tem um grupo, quer fazer tudo em grupos pois a lógicas é que os integrantes do mesmo, já tem um grau de intimidade tão grande, que determinadas etapas sejam queimadas, e a inter-relação mais facilmente desenvolvida. Bjus.

    http://so-pensando.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Ei Iara

    Grupos fechados, "panelas", sempre vão existir. Eu acho que grande parte dos grupos se fecham porque isso diminui a concorrência! Existe um certo medo (talvez inconsciente) de que exista alguém com mais "capacidade", então ao se fechar o grupo, evita-se que alguma pessoa externa tenha a possibilidade de se destacar! É como se fosse uma proteção contra possiveis situações que poderiam arranhar a "imagem" que algumas pessoas tem!

    Quando aos "Blogstars" (realmente um ótimo termo Ulisses!! Me diverti muito com isso!!) Bom, esse blog que criei é a minha segunda iniciativa... tenho uma pequena experiência nesse mundo, e sei como as coisas funcionam. Já visitei muitos blogs, sempre que gosto de um Post faço um comentário. Mas poucas foram as pessoas que me visitaram! Geralmente, muito ocupadas em cima de seus pedestais! Você sabe quando está em um blog de alguma celebridade... Geralmente todas tem o mesmo comportamento. Mas assim são as pessoas e suas relações!

    Embora seja verdade que estamos sempre almejando reconhecimento, mérito por nossos esforços (e não me refiro apenas a blogar não!) o que não podemos é perder nossa identidade, quem somos... Afinal, somos bons naquilo que fazemos... Mesmo que ainda não saibamos bem o que!

    Adorei o Post!
    Abraços!!

    ResponderExcluir
  8. A Internet é apenas um reflexo da vida real.
    Se nesse nosso mundo há 'grupinhos' na internet também há.

    E uma má notícia pra você agora: "grupos" sempre existirão no mundo, pois vem desde os tempos de caim e abel.
    O importante é participar apenas dos grupos 'bons' e deixar os 'maus' pra lá

    abraços

    ResponderExcluir
  9. Agora é que eu notei a parte em que vc me cita. Coisa "esquesita"? Quer dizer que eu só escrevo esquesitisses é? rsrs

    http://so-pensando.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Iara, realmente panelinha é um grupo de afinidades - por que não? Se você for dar uma olhada em toda sua enoooooooorme lista de links vai perceber que em alguma coisa tem afinidade com eles.

    Panelinha, não só é o começo, para uma criança, para iniciar a sua relação interpessoal, mas também a saber trabalhar em grupo e defendê-lo. O ser humano não consegue viver sem apoio - você sabe disso.

    Quando não se vive sem a panelinha, quando isso vira o seu mundo, aí sim a coisa fica doentia. Antes disso... normal! Viva as panelinhas! (e olha que não sou paneleira!) :)

    ResponderExcluir
  11. DANIEL tá parecendo com psicologo!!é que voce gosta de escrever o que vem a cabeça.
    DRAKE, eu nem espero visitas, ás vezes espero apenas que seja tratado de forma igual, sem que eu ou o que a pessoa escreveu seja desmerecedor.

    NETO: Se for os bons, eu fico feliz.

    MIRIAN, voce nao entendeu o que eu quis dizer.

    ResponderExcluir
  12. Iarinha, eu nunca participei de panelinhas ou exclui alguém por apenas não ir com a cara. Geralmente esse "não ir com a cara" dizem as pessoas que não conhecem o resto. Mas quando vejo algum grupo fechado, nem passo perto! Beijus

    ResponderExcluir
  13. Olá Iara, seu artigo é muito bom e verdadeiro. Panelas existem sim, do início ao fim. Fiz parte de algumas e fui rejeitado por muitas... E la nave va.
    Beijão, seu espaço está cada vez melhor!

    ResponderExcluir
  14. Iara, panelas sempre existirão (ok, já disseram...) e agora, fazer o que? O negócio é não se importar com isso e continuar com o seu trabalho. As amizades acontecerão com o tempo, basta ter boa vontade, impor sua opinião e respeitar as opiniões dos outros, comente sempre sem medo. Você vai ver que a blogosfera não é um bicho de sete cabeças. E certas panelinhas são legais. :o)
    Sempre lia seus comentários em outros blogs e vim aqui conhecer a sua casa e gostei.
    Tenha uma ótima semana!!!

    ResponderExcluir

- Regra geral: Bom senso.
- Siga-me no twitter: @iarana.