3.24.2009

Nos tempos da escola: A primeira vez que fiquei de castigo

Fala pessoas,
Quando eu estudava, umas das primeiras coisas que aprendi a fazer foi ser criativa quanto ao uso dos livros e aprendizado, na escola rural onde estudei a 1ªe 2ª. series, não tínhamos livros e nem biblioteca, então eu anotava palavras enquanto a ‘tia’ falava, tinha vez eu desenhava algumas coisas no caderno enquanto ouvia as explicações sobre determinadas coisas. Quando fui pra cidade, continuei com a moda, isso me causou uma complicação certa vez, foi a primeira vez que eu recebia uma "chamada" da professora e da coordenação, na 3a. série, eu com 9 anos no ano de 1989, a professora pegava o caderno todo fim de mês, (não sei se ainda fazem isso), pra olhar as tarefas, essas coisas, então a dita cuja viu vários desenhos no meu caderno e perguntou porque eu não fazia o que ela mandava, porque meu caderno tinham poucos textos e só tinham os exercícios respondidos, então eu não soube explicar de forma convicente, até então eu era aquele tipo de aluno que não faz mal a ninguém, que ficava no seu canto, ninguém nem sabia da minha existência, tímida, calada, isolada de todo mundo.

A professora costumava copiar no quadro as matérias que íamos estudar, quando tinham papel e carbono eles usavam o mimeógrafo, (peça de museu hahahaha), porem eu sentava no fundo e não via direito no quadro, por conta do sol que batia na janela, mas tinha medo de falar pra professora e ser repreendida ou chamada de ‘folgada' ou sei lá, timidez, vontade de quebrar as regras, sempre dava certo.
Bem, chamaram minha mãe e disseram a ela que eu não fazia as atividades de sala de aula, eu só desenhava, minha mãe ficou horrorizada e exigiu uma explicação, no final de tudo, eu peguei um castigo e depois disso eu comecei a sentar na frente,sempre na primeira cadeira na frente da mesinha do professor, dali em diante e até os primeiros anos de faculdade. Depois eu conto como eu mudei essa posição.

Este foi a primeira vez que fui chamada atenção, depois disso, ocorreu quando eu estudava a 5a. série e eu tinha 11 anos, já estava em 1991e em outra escola, eu continuava no meu cantinho, eu era grandona demais para a estatura de uma menina de 11 anos, eu já tinha peitos, corpo de 15 anos, cabelos vermelhos do sol, muito desajeitada, tímida demais, quietinha, do mesmo jeito de sempre, um belo dia um menino chato pra caramba com nome de Juliano, (nossa!! lembro o nome da fera!!) jogou chiclete no meu cabelo, depois ficava fazendo gozações comigo, me chamava de tudo quanto era nome feio, uma vez ele pegou pesado, fui sentar e ele puxou carteira e eu fui ao chão, todo mundo riu de mim, pra que?? minhas costas doíam muito, eu fiquei muito nervosa, perdi a cabeça, peguei a caixinha de madeira que continha os giz e joguei na cabeça dele com força! ahahaha!!! saiu sangue e o moleque foi pro hospital.

O professor me chamou atenção e eu fui pra secretaria da Escola, fiquei de castigo, depois fui suspensa por 3 dias, claro com a assinatura de uma das minhas irmãs que era responsável por mim.
Não houve ninguem que me ajudasse, ninguém naquela sala falou nada pra me ajudar, por 6 meses aquele idiota me perseguia e ninguém falava nada, no dia que eu perdi a cabeça eu fui a culpada.

Malditos professores!! eles sempre viam tudo que o pentelho fazia e nunca fizeram nada. Eu ainda lembro o nome do professor que dava aula, Adão e dava aula de matemática.
Depois disso eu pensei comigo, agora vai ser diferente, eu vou mudar de escola, eu serei popular, quero que todo mundo me conheça, quero que todos me vejam, quero falar bem alto, todos os professores saberão o meu nome, eu participarei de tudo, estarei em todos os lugares, ninguém jamais chamará minha atenção!!
E assim foi.

Deu início a iara dona desse blogue.

Créditos da imagem para O negro e o escravo.

Notas:
O continue lendo parou de funcionar...quando eu tiver em casa com meu pc eu ajeito de novo.
O professor Adão é meu vizinho e fez algumas diciplinas comigo.
Juliano?? não faço a menor idéia de onde ele anda e o que faz, se eu soubesse o sobrenome tentava ver se o Google encontraria algo, mas eu não sei.
E o mundo dá voltas.

4 comentários:

  1. Comigo foi no mesmo ano, em 89, ja tinha 16, eu e uma amiga, saimos de colegio particular para um estadual, o colegio era um saco, faltava professor, não tinha bola pra esporte, um dia resolvemos agitar a parada...
    Soltamos uma bomba!!!!!
    Aquelas tipo "malvina", fomos descobertas, a diretora ´percebeu que tudo que queriamos era ser expulsas dali e não o fez, e nunca mais faltou bola na escola, mas não me orgulho disso.
    Outro dia minha mãe contou a historia ao meu filho, como se fosse com filho de um conhecido...
    Deus me livre eles saberem disso!!!!

    O meu pé no saco se chamava Demetrius José, jamais me esquecerei dele, mas não desejo encontra-lo.
    Sempre fui da turma do fundo, na frente só quando o professor era gato, sempre fui a primeira da turma em fisica, quimica e filosofia, o resto ia empurrando com a barriga.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Se eu fosse seguir seu exemplo de textos, escreveria pelo menos um texto por dia pelos próximos 365 dias...

    Eita... como tem Adão em sua vida!

    ResponderExcluir
  3. Meu pé-no-saco se chamava Mateus. Ele me enchia muuuito o saco! Bati nele um dia! Lembro direitinho da marca da minha mão no rosto dele. hasuahsuash

    Mas meu primeiro castigo nem foi com isso... Nem lembro o que era, sinceramente! Provavelmente não foi nada sério. =D

    ResponderExcluir
  4. Pois, mas o quero mesmo é que contes aquilo da mudança de posições! heheheehehehhee

    anónimo

    ResponderExcluir

- Regra geral: Bom senso.
- Siga-me no twitter: @iarana.