1.26.2012

10 textos que eu gostaria de ter escrito em 2011 (pt 1)

Fala pessoas:

De uns dois anos para cá, reduzi drasticamente minhas visitas e meus comentários pela internet. Antigamente eu fazia uns 10 comentários por dia, hoje, no máximo uns 3 por semana e olhe lá, cansei de muita coisa e de muita chateação. Mas nunca deixei de ler coisas que eu sigo, assino e gosto. Muitas das vezes eu leio e releio, guardo na memória, mas não acho o que comentar, na hora não acho as palavras certas e muita gente se chateia com um simples “oi vim desejar boa semana”.

Fiz essa listinha, sem nenhuma pretensão. É meu jeito de agradecer a tanta gente legal que já encontrei por ai.
Segue meu top 10 textos que eu queria ter escrito em 2011 (parte 1).


1 . Ser feliz é seguir em frente. Sara “de atos e fatos” .

Falando assim parece extremamente fácil. Acho que seguir em frente é um dos maiores desafios que vida da gente impõe, como é complicado deixar algo para trás, desfazer de um sonho ou sei lá, por algum motivo descobrir que tudo só está começando e não tem nem rumo definido.

2. Sobre o amanha. Alma. “a calma alma má.”

Alma sabe escrever como poucos, apenas uma única linha e consegue expressar tudo que eu gostaria de dizer, esse texto é carregado de sentimentos que acho que no fundo todo ser humano nutre: “não quero ficar sozinho no mundo”, quero ficar rodeado de amigos, mas não sei como”.
Acho que eu ficaria tribebada com Alma e conversaríamos por horas.

3. O cara legal, a garota legal e as defesas de sempre. Elenita. “Acasos afortunados”.


Elenita escreve maravilhosamente, eu poderia citar mais uns 20 textos dela que eu adoraria ter escrito, esse em questão trata de algo que realmente #achodygno – não acho que existe esse lance de mocinhos e vilões em relacionamentos; tudo é só uma questão de atitude, mesmo com os “apesar de”, o mesmo homem que após 25 anos de casamento resolve deixar tudo, largar os filhos, a esposa, a família para ter outro relacionamento é o mesmo que pode ser o príncipe encantado de uma mulher que sofreu de abusos por anos. Tudo é relativo e depende do ponto de vista e de sua atitude, (só não fale isso para a mulher cornada rsrs).

4 . A dona da razão. Mirian Martin. Caldeirão da Bruxa.


Minha querida bruxinha é uma das pessoas que conheci assim que fiz esse blog, talvez uns meses depois, Mirian costuma escrever numa outra dimensão que eu não consigo compreender, ela adora narrativas, eu não sou fã desse lado da literatura, talvez me falte mergulhar na fantasia e fantasiar a historinha, pode ser, mas a dona da razão merece uma honraria, um primor de texto, eu concordo em gênero numero e muito grau.
Saca só um pedacinho:
“E o maior defeito da “dona da razão”, não é achar que tenha razão em tudo, mas sim que sua mágoa vira desprezo. Mágoa que carrega há anos, sem explicação, talvez porque nascida e criada do nada. E desprezo é um sentimento tão vazio... tão vazio... Tão vazio quanto ter nascido e ser criada do nada. E o nada é imensamente vazio e profundo.”
Não tem como a gente não gostar. Eu já papiei tempão com Mirian no MSN tempos atrás.


5. Ser diferente assusta. Cidão. Crazyseawolf’s blog.


Cidao é desses caras que acha que o problema da humanidade é porque mulher fala demais. (depois dessa aí ele não volta nesse blog mais rsrs). Gozações a parte, nesse texto, ele questiona (como de costume) sobre o comportamento da sociedade e mais uma vez se autodefine “eu sou um esquisito”. Pensando bem, não é que o diferente assusta, o que assusta é que não se pode conter o diferente, não se manipula os diferentes, os questionadores, não se modifica aquilo que não tem um “padrão”. Esse texto vai de encontro a uma inesquecível propaganda da Apple: Think Different (Legendado em Português)

Sim eu me considero diferente, não como os loucos, gênios, não vou mudar o mundo, mal consigo mudar a mim mesma, mas me sinto diferente por tantas razões. Segue um trecho do texto para vocês:
“Eu me afasto muito das pessoas, e um dos motivos é esse. Juro que não agüento estar no meio de pessoas retrógradas e também da mesma idade. Eu não consigo compartilhar com as suas crenças e suas noções de mundo. Por isso sou chamado de anti-social.”
Cidao é outro que acho que eu tomaria alguma bebida ou um cha ou um café e conversaria horas com ele.

6. Crônicas do afeto II. Luz de Luma.


Eu queria escrever como Luma, até uma frase que ela escreve fica perfeito, tudo devidamente encaixado, eu não consigo fazer isso, eu começo um texto e no meio do texto eu já fiz inúmeras alterações no formato original e na minha idéia inicial. Faço uma bagunça com as idéias. Não consigo deixar a Língua Portuguesa tão bem desenhada em meus textos como ela faz nos textos dela.

Eu já li crônicas do afeto várias vezes. Eu morro de medo de perder minha mãe e meu pai, tenho trinta e um e às vezes acho que tenho 12 anos de idade, nesse texto ela fala dessa superação do medo de perder quem a gente ama demais, perder uma referência em nossas vidas e como cada pessoa convive com isso.

7.Tchau, Caroline! Bruno Guedes. Bruno Guedes e as topeiras.


#Adoro o jeitinho maluquete que Bruno escreve. Começo dizendo que da mesma forma que ele, o que me mata por deixar meu blog sem textos diários nem é a falta de idéias, é esse negocio de parar, sentar, colocar tudo em ordem e escrever. Isso me dá um medo danado. Eu já tive tanta vontade de fechar isso daqui e recomeçar tudo, do zero, mas ai não consigo, porque eu gosto daqui, desse lugar, desse jeito, dos meus “personagens”. Ele conseguiu, fechou a casa e fez outra. Parabéns;

8. Sobre a (in)Tolerância Nossa de Cada Dia. Patrícia. A vida sem Manual.


Gosto muito do “A vida sem manual”, porque é exatamente como imaginaria que meu blog seria, nesse maravilhoso texto, ela fala sobre como nós estamos intolerantes com tudo que acontece por ai, citarei um trechino para vocês: “Atualmente, parece que estamos sempre prestes a apontar o dedo, acusar, julgar e condenar quem quer que seja, sem sequer dar direito ao outro, de uma resposta. Alias, que outro? Se vivemos tão cercados de espelhos, que o máximo que enxergamos é o nosso próprio reflexo.”
Adoraria ter escrito esse texto. Concordo com tudo.

9. Politicamente incorreto não é transgressor, rafinha. Lola Aronovich. Escreva lola escreva.


Não conheço Lola, conheço o blog de longos carnavais. Eu ja falei que eu não suporto esse Rafinha? Não? Digo agora.
Sem tirar uma única vírgula, esse texto da Lola é excelente. Vale a pena. O ultimo parágrafo:
“Aposto como seus tataravôs já faziam gracinhas sobre a sorte que uma moça feia teve em ser estuprada. Vocês não são moderninhos, não são ousados, não são criativos. Vocês estão apenas seguindo uma tradição. E, se naquela época já não era engraçado, imagina agora?
Rebeldia é querer mudar o mundo, começando pela forma que falamos. Não há nada de novo ou de rebelde em eternizar velhos preconceitos, Rafinha.”
Matou a charada.

10. Sou professora, não educadora de seu filho. E nós pensamos: ainda bem! Adão Braga.


Meu nobre amigo Adão é doido de jogar pedra em seus textos e eu #adoro. Se Luma, Patricia e Mirian, são boas em organizar as idéias no texto, toda vez que leio Adão, eu tenho a impressão que ele estava querendo dizer outra coisa e aí fez uma mistura danada e no fim deu certo. Eu li esse texto umas trocentas vezes e juro que toda vez que eu leio tenho impressão que a esposa de Adão deu uma bronca nele no dia e ele resolveu jogar para fora e descontou na professora. Mas eu queria ter escrito esse texto. Justamente por pensar da mesma forma que ele pensa sobre vários assuntos, como por exemplo, essa mania da gente querer se vitimizar, porra!! Tomamos decisões, trilhamos um caminho e depois não adianta fazer de vitima e dizer que a sociedade se impõe sobre as mulheres e tal.

Esse é um texto que seu Adão deveria destrinchar mais e dividi-lo, porque professor não vai educar seu filho e nem o meu. Ficarei muito feliz se ele conseguir passar a ele apenas os conteúdos didáticos necessários.

Comentem, fiquei a vontade. E se você gostou da idéia e quiser postar o seu top 10, porque não?
Inté, mais tarde tem a parte 2.
pss: (mudei o visual do blog, gostaram?). Ainda tem uns ajustes para ser feitos, mas farei em breve. :) #beijomeliga, #beijometwita.

8 comentários:

  1. Estou surpreso de me ver aqui, ainda mais este meu texto de despedida em particular(gosto mais do título do texto que do texto em si :P). Mas muito, muito obrigado pelo prestígio!

    E eu vou ler esses textos todos mais tarde. Juro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será que sua namorada se chama Caroline??
      Voce merece.
      :D

      Excluir
    2. Minha namorada se chamava Aline(detalhe: "chamava"). O título do texto é uma fala de um jogo que eu acho sensacional. :)

      ...e caramba, até hoje não li os outros textos. Vergonha... :(

      Excluir
  2. Você sempre me surpreende, menina! Principalmente colocando um texto em que escrevi com muuuuita raiva! :)

    Beijocas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Escreva com mais raiva, porque esse achei excepcional :D

      Excluir
  3. Estou lendo um a um deste seu top 10. Estou radiante por está na lista. E, prometo me esforçar para não deixar esta impressão novamente. Eu e Kátia estavamos lá no colégio juntos. É um hábito: ser pais e agir como tais, com atividades de pais.

    Beijos de agradecimento. E sim, estou lembrando que no dia 28/01 você faz aniversário.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Iara!!
    Estou viajando e somente agora pude acessar sua postagem.
    Você é muito querida, Iarinha!!
    Obrigada pela referência! Vou ler os outros indicados!
    Boa semana!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  5. Minha flor, se um dia nessa existência a gente se encontrar, a parte alcóolica é por minha conta!!! Obrigada pelo carinho.
    bj no coração.

    ResponderExcluir

- Regra geral: Bom senso.
- Siga-me no twitter: @iarana.