31/10/2018

Assistencia nao é compra de voto

Eu não me considero alguém de esquerda. Eu apenas não gosto de certas coisas daqueles que se intitulam de direta.


A 1ª delas é achar que assistência social é o que faz o Brasil ir pro buraco porque dao o “peixe” e não a vara de pescar ou algo do tipo.
Coisas do tipo: "nao se pode mais contratar domestica" devido aos direitos trabalhistas.
OU coisa como:
pobre nao quer trabalhar, so quer bolsa familia, como se o valor da bolsa familia fosse um alto salario.
Ou também tem coisas como:
negro nao estuda so quer bolsa de estudos ou cotas.
veja como tudo soa preconceituoso.

Se você tem uma vida onde seu trabalho de propicia renda suficiente pra ter casa, comida, saúde, escola, você é um grande felizardo na vida.
Se você nunca precisou de uma cesta básica ou uma ajuda, parabens, continue assim, so peço a gentileza de nao desmerecer quem precisa, você não sabe como é ruim precisar;

Porque a maioria ganham salario mínimo e quando ganham, mal conseguem comer.
Para estas pessoas o governo precisa assistir, seja na casa própria, Escola, creche, hospital, bolsas de estudos.
Isso quando o cidadão tem o trabalho. Porque se não tiver, então é miséria humana.
Eu por exemplo venho de uma família que vivia na roça, em uma casa feita de palha. Eu fui pra cidade com uns 10 anos porque minha mãe queria que eu estudasse.

Eu trabalhei em casa de família como domestica, eu recebia um pagamento mas longe de ser salario. Naquela epoca empregada nao tinha salario minimo para regular, não tinha ferias de 30 dias, nao tinha fgts, não tive carteira de trabalho.

A minha mãe vivia de lavar roupa, de casa em casa, de migalha em migalha.

Mas eu estudei muito, eu fiz faculdade federal, mas não tinha como sair de uma cidade pequena para a capital, não sem ajuda.
Então o Diretório de estudantes acolhiam pessoas como eu e vários que não tinham como se virar; um alojamento e  refeição. Não era permanente, era o suficiente para os alunos não desistirem no primeiro semestre.  Eu comia nesse alojamento porque nesta época não existia Restaurante Universitário na Faculdade.

Eu fui domestica ate quase a metade da faculdade.
A prefeitura atendia alguns com estágios remunerados, nao era grande coisa, 1/4 do salario minimo.
Mas era o que tinha. Foi assim que sai do serviço domestico e fui para capital.

Eu ia para faculdade a pé, atravessava metade da cidade, o dinheiro era so pra comida e para pagar um quarto.

Eu trabalhei muito, hoje eu não sou rica, mas fiz 2 faculdades, e vou começar uma pos graduação. Não preciso de cesta básica, nao preciso da assistência social. Consigo ter uma vida razoavelmente boa, posso pagar um convenio medico e odontologico, posso ter alguma coisa, longe de ser classe media alta, mas tenho dignidade.

As minhas irmãs precisaram para estudar, seja com cota para negro ou com prouni.
Então aparece um especialista que diz que a "esquerda" compra o voto ecabestrando as pessoas.

Assistir o pobre não é o que faz o Brasil ir pro buraco, assistência não é compra de voto.
Se o Estado conseguir mudar a vida do miserável, do pobre, o rico entra no bolo tambem, porque terá demanda.
Talvez a direita entenda que precisa tirar as pessoas da miséria humana para que mais pessoas consigam o que eu consegui.

Mudar de vida. Ter dignidade.

Creditos da Imagem para Idee-Scheibe Pixabay

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Regra geral: Bom senso.
- Siga-me no twitter: @iarana.